Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



"Accelerati incredibilus"

por JL, em 14.04.19

Para quem não conheça ou não reconheça, o pseudolatim do título vem emprestado da série de animação “Road Runner”, conhecida em Portugal por “Bip Bip” e no Brasil por “Papa-Léguas”, quando no genérico inicial as personagens são apresentadas num plano fixo, com uma legenda com o “nome científico” entre parêntesis. Esta cientificidade foi modificada ao longo das diferentes temporadas da série, mas quase sempre com nomes reconfortantemente cómicos e desconcertantes. Que melhor introdução para esse foguete das provas de atletismo local, que é a Milha, do que o generoso exemplo do galo-corredor americano que celebra 70 anos em 2019?

Três anos depois, regressei à Milha Urbana de Corroios com um nó no estômago e um olímpico ponto de interrogação a coroar a frase: O que é que eu estou a fazer aqui? Sou um Accelerati vulgaris, não gosto de provas rápidas, sinto-me um coiote, tenho outra prova amanhã ou ainda me vou lesionar, foram alguns dos pensamentos turvos que me ocorreram naqueles minutos iniciais de deriva pelas ruas de Corroios. Mas depois, uma cara conhecida aqui. Outra ali. Uns cumprimentos aqui e ali. Mais umas provas que estão a acontecer e das quais vemos um bocado. Depois, aquela multidão de gente de camisolas verdes e tudo acaba por se arrumar no seu sentido. Então, recordo-o com clareza: decidi vir a esta prova para voltar a correr pela Natureza Ensina e ajudar a equipa com alguns pontos modestos, e também para reencontrar caras que já não via há algum tempo. Enfim, límpido. Mesmo que signifique algum empeno nos 20 km Marginal...

Isto de correr em equipa tem muito de gregário, social e até qualquer coisa de tribal. Para quem não sabe sobre o que os corredores falam antes e depois das provas, que será a larga maioria da população mundial, aviso que também não o desvendarei. Deixo apenas a promessa de um dia destes editar um “Life of Runners”, ao estilo de David Attenborough, para desvendar as folhagens opacas que escondem os comportamentos desse estranho mamífero gregário que se aglomera socialmente em grupos de cores idênticas e que repete regularmente a bizarria de percorrer em grupo e em passo tão acelerado quanto possível um itinerário idêntico, às vezes circularmente, até um ponto em que todo o grupo interrompe o percurso e recomeça a socialização e hidratação. Um estranho comportamento, de aparência vagamente migratória, mas que pode encobrir outras razões que apenas o avanço científico poderá descortinar. Não perca: brevemente no seu computador…

Enfim, de regresso à Milha, depois deste devaneio de contornos histórico-televisivos, fiquei muito satisfeito com um 5º lugar no escalão, com o tempo de 5’35. De acordo com a estimativa oficial, corresponde a qualquer coisa como 3’28/km, mas o meu relógio conta-me que foi 3’19/km. Certamente, mais uns metros de curvas por fora e afins. Pessoalmente, não podia esperar mais. Mais experiente do que em anos anteriores, não me deixei levar por inconsciências e entusiasmos e tentei sempre seguir o meu ritmo, independentemente do que acontecia à minha volta. Não ganhei para o susto quando vi o relógio a marcar 3’/km, mas garanti que continuava a respirar mais ou menos controladamente. Perdi algumas posições que já não consegui voltar a recuperar, mas estava cumprido o objetivo que traçara. Mesmo assim, são oito pontos para a equipa, visto o quarto classificado ser um corredor externo ao Troféu. Um pecúlio inédito, que jamais imaginei alcançar numa Milha.

Enfim, reconheço que nunca serei um galo-corredor, e que esse papel tem donos, bastante mais merecedores, para uma série de extensa duração. Os meus parabéns ao Carlos, ao Mário, ao António, ao Hélder e ao Marco, da Natureza Ensina, que concluíram a nossa série nos cinco primeiros lugares, preenchendo brilhantemente a totalidade do pódio de Veteranos II e os dois primeiros de veteranos III. Mas, também o Luís, o Nelson, eu e o Ricardo preenchemos nove dos 15 primeiros lugares da série com a camisola verde da Natureza Ensina. Nome científico: Accelerati incredibilus.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:20


2 comentários

Imagem de perfil

De MJP a 14.04.2019 às 19:33

Muitos Parabéns!
Imagem de perfil

De JL a 15.04.2019 às 12:34

Obrigado.
Um ótimo dia!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D